História

A Associação de Linguística Aplicada do Brasil (ALAB) foi fundada em 26 de junho de 1990 com o objetivo de (re)construir um lócus acadêmico-científico dinâmico, instigador de estudos e reflexões na área de Linguística Aplicada (LA).

Concebendo a LA como um campo de investigação de usos situados da linguagem nas diversas esferas do meio social, e não como aplicação de teorias linguísticas, a ALAB se caracteriza por fomentar pesquisas com foco nas relaões entre linguagem e sociedade. A criação da associação contou com a participação ativa de um grupo de fundadoras e fundadores. São eles:

Abuendia Padilha Pinto (UFPE),  
Alice M. da Fonseca Freire (UFRJ),  
Angela Bastos Kleiman (UNICAMP),  
Branca Telles Ribeiro (UFRJ),  
Carmen Rosa Caldas Coulthard (UFSC),  
Francisco Gomes de Matos (UFPE),  
Hilário I Bohn (UCPel),  
José Carlos Paes de Almeida Filho (UNB),
Luiz Paulo da Moita Lopes (UFRJ),  
Mara Sofia Zanotto Paschoal (PUC-SP),  
Maria Antonieta Celani (PUC-SP),  
Maria das Graças Dias Pereira (PUC-Rio/UERJ),  
Marilda do Couto Cavalcanti (UNICAMP),  
Rosemary Arrojo (UNICAMP),  
Sumiko Nishitani Ikeda (PUC-SP),
Vera M. Xavier Santos (UFSM),
Vilson José Leffa (UCPel). 

 AILA-RIO 2017



Ao longo de seus 30 anos, a ALAB teve em sua diretoria pesquisadoras e pesquisadores de destaque que buscaram fortalecer e divulgar os estudos em LA em seus mais diferentes nichos acadêmico-científicos, além de atenderem às demandas da própria área em diferentes épocas.